Química

As Indústrias Petroquímicas

Todos os produtos derivados do petróleo têm a sua origem em petroquímicas. Mas o refino do petróleo faz parte da indústria do petróleo. As petroquímicas fazem parte da indústria química. Essa separação é ainda muitas vezes confundida em publicações. A matéria prima principal usada no segmento petroquímico é a nafta que, por sua vez, é um derivado do petróleo. As refinarias, portanto, não fazem parte do segmento petroquímico. Elas fornecem o petróleo refinado, que serve de matéria prima a tal. São também conhecidas como indústrias de transformação. Para que a transformação de matérias primas originadas de recursos naturais aconteça, é preciso recorrer às mais sofisticadas tecnologias desenvolvidas pelas engenharias

Divisão em tipos de produto

Uma forma de compreender a importância deste tipo de indústria para a sociedade contemporânea, é dividi-las em segmentos. Uma nova classificação das petroquímicas, proposta pelo IBGE em parceria com a ABIQUIM, utilizou o critério dos tipos produzidos. A classificação resultou em produtos petroquímicos inorgânicos (entre outros, o cloro e o álcalis); produtos químicos orgânicos (intermediários das resinas e fibras); resinas e elastômeros; filamentos, cabos, fios e fibras; produtos farmacêuticos; defensivos agrícolas; produtos de limpeza (sabões, detergentes) e artigos de perfumaria; lacas, vernizes, esmaltes, tintas e afins; diversos produtos e preparados químicos (explosivos, adesivos, catalisadores, selantes, filmes, chapas, discos, papéis, aditivos industriais e outros). A partir dessa divisão, percebemos a complexidade da indústria petroquímica e de sua ampla abrangência.

Estágios da atividade industrial petroquímica

Uma divisão inquestionável e que se encontra na maioria das publicações sobre o assunto, é a tripartição das etapas da produção no interior das petroquímicas. Tal separação em três etapas é bem esquemática. A primeira corresponde às atividades industriais de 1º geração, ou seja, produzem o principal (eteno, propeno, butadieno); a 2º geração, através de processos como purificação e adição, transforma os produtos básicos; e, por fim, a 3º geração que, química e fisicamente, altera os resultantes da 2º geração, originando os produtos para o consumo.